Brasil recrutará 2 mil pessoas para testar vacina

Serão selecionado voluntários que fazem parte dos serviços essenciais e que são expostos diretamente ao vírus.

O promissor avanço dos testes fez com que a Universidade de Oxford, responsável pelo desenvolvimento de uma das vacinas que estão sendo testadas atualmente no mundo, pudesse avançar com testes em humanos, e o no Brasil serão recrutados 2 mil voluntários.

Na primeira etapa a Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca selecionará profissionais da saúde e quem trabalha exposto ao vírus. A vacina será testada nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, sendo distribuído 50% das amostras em cada estado.

A UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) será responsável por articular os trabalhos em São Paulo, no entanto, ainda não há uma instituição definida para a distribuição no Rio de Janeiro.

"Com grande entusiasmo que a gente está conduzindo esse estudo, acho que é um privilégio para o Brasil estar junto no desenvolvimento de uma vacina que poderá ser a solução ou contribuir para mudar esta trajetória, este cenário tão catastrófico", disse Lily, que é investigadora principal do estudo, ao Bom Dia São Paulo, da TV Globo.

Soraya Smaili, farmacóloga e reitora da UNIFESP, reiterou que o fato do Brasil fazer parte dos testes clínicos pode ajudar o país a ter acesso ao produto no futuro, já que existe a preocupação de países mais pobres como Brasil serem os últimos imunizados num cenário de alta demanda. 

Como ser voluntário?

Dentro de poucos dias a UNIFESP deve abrir o processo seletivo para quem deseja se voluntariar e receber a dose da vacina. Os voluntários não podem ter sido infectados em outras ocasiões e precisam fazer parte da linha de frente dos trabalhos essenciais.

Sobre o Autor:
SEU_NOME Jovem escritor, apaixonado por leitura. "Se um assunto é de meu interesse, pode apostar que vou até o fim para descobrir mais sobre ele." Prazer, Wesder Siqueira.